Uma escola de formação para influenciar no futuro da Internet

09/07/2013

A Escola do Sul sobre Governança da Internet visa treinar e motivar mais latino-americanos para se juntar ao debate internacional sobre Governança da Internet.

Olga Cavalli, diretora da organização, acha que “há poucos latino-americanos que participam ativamente nos debates” pelo que considera necessário o envolvimento ativo de mais representantes da América Latina e o Caribe nas questões de importância para o desenvolvimento da Internet.

Em diálogo com LACNIC News, Cavalli disse que a Escola de Governança treina futuros líderes da Internet para enfrentar os desafios desta era tecnológica.

O que é a Escola do Sul sobre Governança da Internet?

O principal objetivo da Escola do Sul sobre Governança da Internet é conseguir que jovens estudantes e profissionais de várias disciplinas da América Latina e do Caribe se envolvam no debate sobre a Governança da Internet e possam compreender sua importância no futuro da Internet e no desenvolvimento da região.

Isso vai fazer com que melhore e aumente a participação de representantes da América Latina e o Caribe nas reuniões relacionadas com a Governança da Internet e que novos líderes de opinião da região se formem, envolvam e interessem neste processo. Também vai aproximar estudantes de outros países à realidade da região latino-americana e caribenha.

Qual o objetivo da Escola de Governança?

A missão da Escola do Sul sobre Governança da Internet é criar um espaço de formação para novas gerações de profissionais que participem de forma ativa nas reuniões em que é moldado o futuro da rede Internet.

Quem participam de suas reuniões? Há uma seleção dos participantes?

Para se candidatar às bolsas para participação nas reuniões, os candidatos devem enviar suas solicitações, um cv e os motivos pelos quais deseja participar. De todos os candidatos é selecionado um grupo com base nos seguintes critérios: maior diversidade de países, maior diversidade de gênero, maior diversidade de stakeholders, maior diversidade de profissões (engenheiros, advogados, cientistas políticos, etc.). Todos os selecionados recebem uma bolsa completa para participar.

Qual é a maior lição desde sua primeira reunião em Buenos Aires até o último encontro acontecido em Panamá?

O grande impacto que tem tido a Escola do Sul sobre Governança da Internet é conseguir que novos profissionais se envolvam no debate sobre Governança da Internet e o interesse despertado nos governos da região, uma vez que os funcionários participam na escola.

É muito interessante ver também a rede gerada entre os bolsistas, quem continuam em contato uma vez terminada a escola.

Como articula a Escola do Sul sobre Governança da Internet com os fóruns de discussão sobre Governança da Internet, por exemplo, o Pré IGF?

Muitos dos bolsistas e professores da Escola de Governança (SSIG) participam no pré-IGF.

Muitos bolsistas da SSIG são palestrantes nestes fóruns: ICANN, MAG, pré-IGF, LACNIC.

Especificamente, em relação ao pré-IGF, durante a semana que dura a Escola, que geralmente é organizada em marco ou abril de cada ano, presta-se especial atenção a que os participantes acompanhem atentamente o debate na reunião pré-IGF, isso foi visto claramente na Colômbia em 2012, quando muitos dos participantes da reunião no pré-IGF em Bogotá foram bolsistas da Escola no mesmo ano na Colômbia.

Igualmente aconteceu na recente reunião de Medellín do LACNIC, em que houve uma ampla participação de bolsistas da SSIG.

Encorajamos também para que participem de programas de bolsas para participar das reuniões do LACNIC, ICANN, IGF, ISOC, IETF, entre outras.

De fato, a maioria dos selecionados de nossa região no programa de fellowship da ICANN é ex-bolsista da Escola do Sul sobre Governança da Internet, e a ICANN reconhece que são participantes com uma excelente formação e motivação.

Como pode a região ter mais influência nos debates globais da Internet?

O envolvimento ativo de representantes da região da América Latina e o Caribe é relevante para que sejam abordados assuntos de grande importância para o desenvolvimento da região e sua inserção em um mundo globalizado.

A América Latina é diferente de todas as outras regiões do mundo, tanto por sua diversidade geográfica e cultural quanto pela estrutura social. Isso faz com que os problemas da América Latina e o Caribe sejam únicos e devam ser levados em conta no debate global: para que isso aconteça é fundamental a participação ativa nessas reuniões.

Assim que eu acho que mais do que influenciar, a região deve ser ouvida através de uma participação relevante, esse é o principal objetivo da Escola do Sul sobre Governança da Internet: fortalecer essa participação relevante.

Suscríbete para recibir las últimas novedades en tu mail Click here to subscribe receive the latest news in your inbox. Inscreva-se aqui para receber as últimas novidades no seu e-mail