Um só cenário possível

30/04/2015

O evento de LACNIC em Lima, de 18 a 22 de maio, ira servir para atualizar as informações sobre o estado em que está o processo de transição da custódia das funções da IANA (a função de Nomes, a de Números e a de Parâmetros e Protocolos).

Durante LACNIC23 haverá diferentes espaços que informarão a comunidade acerca dos avanços acontecidos depois de finalizada a consulta regional em outubro passado. Na terça-feira 19 a partir das 14 horas será desenvolvido um painel informativo sobre a proposta do CRISP (Consolidated RIR IANA Stewardship Proposal Team) e depois haverá um debate e consulta pública com a comunidade de LACNIC acerca de possíveis cenários na transição da custódia das funções da IANA.

Antes da reunião, Ernesto Majó, Gerente de Relações Externas & Comunicação do LACNIC, compartilha as últimas novidades desse processo.

Em que fase está o processo de transição da custódia das funções da IANA?

As diferentes comunidades relacionadas com as três funções básicas desempenhadas pela IANA (a função de Nomes, de Números e de Parâmetros e Protocolos) têm conduzido processos independentes analisando as melhorias e ajustes que devem ser considerados para assegurar a observância dos processos sob a responsabilidade da IANA. A comunidade de parâmetros e protocolos (basicamente o IETF) e a comunidade dos Números (as comunidades dos 5 Registros Regionais da Internet), entregaram as suas propostas ao Grupo de Coordenação Global da Internet (ICG) que é o encarregado de consolidar as propostas e conferir a observância dos princípios estabelecidos pela NTIA. A comunidade dos “nomes”, que está formada por várias comunidades, está trabalhando no Cross Community Working Group (CWG) para consolidar uma proposta comum que reflita os interesses dos diferentes grupos de interesse (stakeholders).

Em particular, a comunidade dos números, através de seu grupo CRISP continuou avançando no desenvolvimento dos elementos centrais da sua proposta como o “Acordo de Serviços” (SLA) e na formação do Comitê de Revisão que assessora os Registros Regionais da Internet (RIR) sobre a maneira em que o operador das funções da IANA executa.

O que foi que aconteceu com o documento final redigido pela comunidade da América Latina e o Caribe sobre esse assunto?

A proposta desenvolvida pela comunidade de LACNIC, foi um dos insumos básicos que o CRISP, grupo especializado formado por 3 representantes de cada região (15 membros),  levou em consideração e consolidou em uma única proposta, que foi apresentada ao ICG em 15 de janeiro de 2015, de acordo com os prazos estabelecidos. Esta proposta incorpora alguns dos elementos considerados nas discussões de cada região e também nas conferências e na lista de ianaxfer@nro.net.

A proposta do MONC (Multistakeholder Oversight Number Council) evoluiu no Review Committee que vai ter a responsabilidade de analisar todo ano o cumprimento adequado dos processos pelo Operador da IANA (hoje a ICANN).

Que novas oportunidades de participação terá a comunidade do LACNIC para discutir o futuro da supervisão das funções da IANA na administração dos recursos de numeração da Internet durante o evento LACNIC 23 em Lima? Essa vai ser a última data para discutir publicamente esse assunto?

Durante a reunião LACNIC 23 em Lima, haverá diferentes espaços que informarão à comunidade acerca dos avanços acontecidos depois de finalizada a consulta regional em outubro do ano passado. Principalmente, tudo o que refere ao trabalho desenvolvido pelo CRISP.

O espaço de participação disponível é a lista de discussão criada pelo NRO para tal fim: ianaxfer@nro.net. Lá, todos os interessados poderão realizar suas contribuições para que sejam consideradas pelo CRISP, já que a comunidade representada no CRISP é quem tem autoridade para realizar mudanças e ajustes na proposta se assim considerar necessário.

O único papel que os RIR ou o NRO como organizações têm nesse processo é habilitar o espaço para que a comunidade possa cumprir plenamente com esta importante responsabilidade.

Qual é o cenário futuro mais provável sobre quem irá assumir o papel de supervisão das funções da IANA?

Não há dois cenários possíveis. Mais cedo que tarde, o papel de supervisão ou de custódia das funções da IANA será assumido pela comunidade sob a forma que ela entender. A NTIA estabeleceu algumas condições para a elaboração da proposta e, na medida em que essas condições forem verificadas, a NTIA deverá processar a transição, onde a comunidade possa assumir a responsabilidade de auditar o cumprimento dos processos.

Suscríbete para recibir las últimas novedades en tu mail Click here to subscribe receive the latest news in your inbox. Inscreva-se aqui para receber as últimas novidades no seu e-mail