LACNIC evolui com sucesso para uma organização mais forte

23/12/2015

Após concluir com sucesso este ano um processo de reorganização e fortalecimento institucional por seu crescimento interno e a expansão da comunidade regional da Internet, LACNIC concentrará esforços em 2016 em analisar os novos desafios para determinar seu próximo ciclo estratégico, disse Oscar Robles, CEO do Registro Regional da Internet da América Latina e o Caribe.

Em diálogo com LACNIC News, Robles repassou seu primeiro ano na frente da organização como diretor executivo, salientou as conquistas do trabalho em equipe de todos os colaboradores de LACNIC e ofereceu uma mensagem otimista sobre o futuro da Internet na região.

 

Quais têm sido em sua opinião os momentos mais importantes deste ano para LACNIC?

Novamente este ano de 2015 foi um ano de mudanças significativas dentro da organização ao mesmo tempo em que atendemos as necessidades de nossos mais de cinco mil associados.

Redefinimos nossa estrutura organizacional para satisfazer melhor os requisitos de um ambiente complexo, o nosso número cada vez maior de associados, uma comunidade regional da Internet em contínua expansão, um ambiente com maior escassez de endereços IPv4, e um mundo virado às soluções digitais e uma invasão de sensores em dispositivos conectados à Internet.

Continuamos interessados em uma organização estável com um ambiente de trabalho que permita o adequado desenvolvimento de nossos colaboradores para dar cumprimento aos objetivos. Também fomos por quarto ano consecutivo ranqueados como um dos melhores locais para trabalhar no Uruguai (GPTW), além de receber o prêmio DERES por contar com uma das melhores práticas de SER em qualidade de vida no trabalho no Uruguai.

Começamos formalmente o WARP, um centro para reportar e alertar sobre incidentes de segurança disponível para todos nossos associados; também o Campus on-line com uma oferta importante de cursos e benefícios exclusivos para nossos associados. Revigoramos o processo de definição de políticas e tivemos resultados muito encorajadores nos processos de discussão de 2015, com políticas muito relevantes para a comunidade.

Contamos com visitas relevantes tanto em LACNIC e na Casa da Internet quanto em nossos eventos de 2015: Vint Cerf foi a visita mais recente; Mayra Arevich, Presidenta de ETECSA e anfitriões de LACNIC 25. Assim mesmo nos acompanharam Fadi Chehadé – ICANN, John Brzozowski – Comcast Cable, Kathleen Moriarty – IETF, Álvaro Retana – Cisco e George Michaelson – APNIC.

Tudo isso sem esquecer a questão da transição da custódia das funções da IANA, que tem uma das mais altas prioridades para nós e que durante 2016 começaremos a fase de implementação.

Em seu primeiro ano na frente da organização, o que foi o mais difícil de aprender?, quais lições aprendidas você pode revelar?

Principalmente a natureza dos RIR. São aspectos que, embora eu conhecia  mais ou menos, houve elementos fundamentais de informações que sao necessárias para entender a natureza dos RIR e de onde nossa autoridade é derivada, por exemplo.

Além disso, ter estado na Diretoria de LACNIC em anos anteriores permitiu-me conhecer a organização e ter muito mais clara a direção que deveríamos promover.

Tem sido um tempo de transições para LACNIC, com mudanças organizacionais, você poderia explicar por quê?

A organização cumpriu objetivos muito importantes nos anos anteriores e conseguiu atingi-los graças a uma estrutura organizacional. Agora, tínhamos de adaptar essa estrutura aos novos desafios, típicos de qualquer organização que transita de pequena a média, com maior formalização de suas atividades e processos internos e atendimento para ameaças e riscos internos.  Para isso era necessária esta nova estrutura.

LACNIC consolidou sua liderança na região em questões da governança da Internet e tem desempenhado um papel importante na transição da custódia das funções da IANA; como você observa hoje esse processo?

Podemos dizer que o processo de definição foi bem-sucedido, não apenas por essa liderança, mas também porque levamos a bom porto uns princípios consolidados entre as comunidades dos cinco RIR, tarefa complexa. Após isso, geramos documentos que coletaram esses princípios e que atenderam às expectativas de todos os envolvidos.

O Registro Regional gerou novas discussões com mudanças de políticas nos recursos do IPv4, qual é sua visão nesse aspecto?

Uma das questões que historicamente temos defendido é o mecanismo multistakeholder, não apenas porque estamos convencidos de seus benefícios para organizações como a nossa, mas porque é o jeito que sempre definiu as regras segundo as quais LACNIC e todos os outros RIR designam os recursos de numeração para seus associados. Portanto, além de que não havia barreiras explícitas no mecanismo de definição dessas regras (processo de definição de políticas), quisemos garantir que o mecanismo era claro e acessível a todos. Este ano foi muito positivo no que refere aos esforços e resultados atingidos, um deles foi que foram retomadas as discussões de políticas relevantes para a região, como a transferências de recursos.

O ano culmina com a chegada de Vint Cerf a LACNIC, o que deixou a visita à casa da Internet da LAC de um dos pioneiros da Internet?

Ter a Vint Cerf na casa permite pensar nos grandes desafios para o futuro. Além do convívio com uma personalidade como Vint, para nós é o pontapé inicial para nosso processo de Planejamento Estratégico que iremos realizar no próximo ano.

Como você enxerga o futuro de LACNIC? Qual é o roteiro da organização e os desafios mais importantes?

Justamente, em 2016 a organização vai dedicar um esforço significativo para determinar os desafios, os objetivos e os projetos nos quais vamos trabalhar durante o próximo ciclo estratégico, mas sem dúvida alguma, há elementos que hoje já conhecemos: um ambiente com mais tecnologia (IoT), conclusão da fase 2 do IPv4 na região, a transição da custódia das funções da IANA, esforços de governança da Internet locais que lutam por ter maior transcendência e ingerência nas decisões locais, entre outros.

Que mensagem deixaria para a comunidade para finalizar o primeiro ano como Diretor Executivo de LACNIC?

A mesma que transmiti à Diretoria na nossa última reunião do ano: Podemos dizer que este ano o LACNIC tem sido bem-sucedido em sua transição para uma organização mais forte, com menos dependências pessoais e mais no trabalho coletivo e colaborativo das pessoas que o compõem, com um compromisso renovado para as suas diversas comunidades e uma consciência plena dos riscos que enfrentamos ao deixar de ser uma pequena organização (em número de pessoal) e que está se preparando para analisar os desafios que irá enfrentar nos próximos anos.

Suscríbete para recibir las últimas novedades en tu mail Click here to subscribe receive the latest news in your inbox. Inscreva-se aqui para receber as últimas novidades no seu e-mail