Mapa mede latência de interconexãode redes na América Latina e oCaribe

05/11/2014

LACNIC tem desenvolvido um mapa que mede a latência das redes da Internet da América Latina e o Caribe. A iniciativa, chamada projeto Simón, oferece informações sobre medidas de latência na região para a comunidade da Internet toda.

Agustín Formoso, responsável do projetoSimónem LACNIC, contou que a proposta surgiu de conversas regionais de interconexão há cinco anos com o objetivo de oferecer informações atualizadas e representativas de medidas de latência na América Latina e o Caribe.

Agustín anunciou que Simón vai disponibilizar na região uma ferramenta que automatiza a colheita de dados e permite ter um mapa completo, atualizado e representativo da América Latina e o Caribe. A ferramenta vai gerar cerca de 500 testes diários de 25 países.

Para que serve medir a latência das redes na América Latina e o Caribe?

A latência é um bom indicador da eficiência no roteamento de pacotes de origem e destino. Bons valores de latência correspondema boa interconexão entre redes, e vice-versa. Mesmo que existam outras fontes que introduzem delay na Internet, consideramos que roteamento sub-ótimo é um dos fatores preponderantes. Nesse contexto, o projeto mede interconexão através da latência.

Como seria o mapa atual de interconexão de redes da A. Latina e o Caribe segundo as informações coletadas pelo projetoSimón?

Há dois grandes fatores que incidem na elaboração do mapa neste momento. O primeiro é que o mapa muda o tempo todo. O caminho que segue o tráfego não é sempre o mesmo, as redes e os acordos de tráfego mudam, e por isso é necessário que os testes não parem. O segundo fator é a necessidade de os testes serem executados automaticamente, e não manualmente, tal como era feito. O fato de os testes serem manuais implica um grande esforço por parte da comunidade, e se os usuários deixassem de fazer testes, a base de dados perderia qualidade. Para acabar com esses dois problemas é preciso implementar ferramentas que automatizem a medição do tráfego. Simón está prestes a colocar em produção uma ferramenta que automatiza a colheita de dados e permite ter um mapa completo, atualizado e representativo da região. A nova ferramenta, hospedada nos sites de LACNIC e LacnicLabs permite gerar uns 500 testes diários, e nestas últimas duas semanas tivemos testes de 25 países, que nós acreditamos são números saudáveis.

Como tem sido a evolução desde 2009 até hoje? Os avanços são perceptíveis?

Alguns avanços são perceptíveis, sim. Os países mais capacitados para fazerem comparações são aqueles que têm gerado testes de forma constante ao longo dos últimos 5 anos, com o mesmo medidor. Ao fazer comparações, deve-se considerar que os medidores são diferentes e, portanto, seus resultados não podem ser misturados (pelo menos até agora). Um exemplo disso é entre a Argentina e o Brasil, cujo perfil de latência é deslocado para melhores valores de latência ao longo destes últimos anos.

Quais têm sido os países que mais têm avançado nesses cinco anos desde que está sendo feito o mapa de latência?

A latência não é fácil de ‘rankear’ já que os fatores que podem influenciar não dependem apenas de um país ou de um operador em particular, mas dependem de todos os países e operadores envolvidos nessa medição. Por exemplo, as medições entre o Chile e o Uruguai não dependem apenas dos operadores desses dois países, também dependem de operadores de outros países. Porém, um parâmetro que sim depende somente de um país é a latência interna a esse país. Um caso em que têm sido realizados testes dentro do mesmo país de forma contínua é o Brasil, e mostra uma tendência de melhoria. Mesmo que o resto dos países tenha medições internas, o volume das mesmas não permite atingir mais conclusões.

Pode ser feito um ranking da região sobre os países com menos latência?

Hoje temos um pequeno ranking de latência interna, e acreditamos que com dados recentes e um volume constante ao longo do tempo, vamos poder armar um ranking de latência ainda melhor. Um dos principais objetivos do novo medidor é proporcionar ese tipo de dados.

O que é LatencyLab e que testes está fazendo? Há  resultados de suas experiências?

O LatencyLab é uma pequenha parte do projeto em que os usuários podem executar testes de latência para um destino específico, simplesmente para testar essa nova ferramenta. Surgiu de nossa própria necessidade de fazer testes do medidor JavaScript. Graças a que esse medidor ofrece “conetores” que permitem personalizá-lo, decidimos usar esas personalizações para poder escolher o destino da medição e poder apresentar os dados em um gráfico. Os usuários que decidirem participar do projeto, poderão perzonalizá-lo a sua forma, por exemplo, para guardar os resultados em sua própria base de dados além de na base de dados de Simón.

Suscríbete para recibir las últimas novedades en tu mail Click here to subscribe receive the latest news in your inbox. Inscreva-se aqui para receber as últimas novidades no seu e-mail