As vantagens estratégicas do IPv6

30/09/2021

Em 10 anos haverá vantagens em conteúdo, serviços ou arquitetura da Internet disponíveis apenas em IPv6, afirmou Lee Howard, durante o webinar O papel estratégico do IPv6 na transformação digital

Organizado pelo CITEL e pelo LACNIC, este seminário online destacou o papel estratégico do IPv6 na conexão de milhares de pessoas que ainda não têm Internet, assim como a alta disponibilidade de serviços que este protocolo possibilitará no futuro.

Dez anos na evolução da Internet é muito tempo. Pense como mudou a forma na qual usamos Internet os últimos 10 anos. Hoje somos muito mais móveis. Daqui a uma década algumas vantagens somente estarão disponíveis no IPv6”, salientou Howard.

O expositor sinalizou que o futuro da Internet vai acompanhado do IPV6. Howard afirmou que o IPv4 está ficando caro, enquanto o IPv6 baixa o seu preço. “Houve um aumento surpreendente no valor dos endereços IPv4. Custavam 20 dólares e hoje custam 40 dólares, certamente atinjam o valor de 70 ou 80 dólares no final do ano”, acrescentou.

O problema, acrescentou Howard, é que as organizações que ainda não implementaram o IPv6 “não terão escolha”, deverão que pagar o que o vendedor do IPv4 pedir”.  Mostrando gráficos, destacou também que o IPv6 é mais rápido que o IPv4.

A segurança do IPv6, comentou Howard, é outro ponto a favor para as empresas. NAT esconde a muitos usuários detrás de um mesmo endereço de Internet, frisou.

Durante o webinar foram apresentadas estatísticas sobre o impulso da pandemia no uso da Internet, com um crescimento em torno de 30% e 40% no tráfego. Para Carlos Martínez, gerente de tecnologias do LACNIC, o que aconteceu em 2020 foi um evento único na história da Internet. “Houve vozes que alertavam sobre um colapso da Internet que nunca aconteceu”, disse Martínez. Em relação ao IPv6, Martínez acredita que devolve Internet como era há 20 anos, sem caixas intermediárias.

A situação atual propõe diversos desafios para o futuro, onde empresas, governos e cidadãos vão precisar da Internet como ferramenta básica para suas vidas. Nesse sentido Oscar Robles, CEO do LACNIC, afirmou que se os governos possuírem na sua esfera de acontecimentos projetos de desenvolvimento tecnológico que impliquem conectar regiões ainda não conectadas, devem levar em conta o desafio do IPv6.

Robles defendeu processos de implementação do #IPv6 baseados na cooperação, uma vez que podem aproximar a múltiplas partes e fomentar uma implementação mais inclusiva e ordenada.

Suscríbete para recibir las últimas novedades en tu mail Click here to subscribe receive the latest news in your inbox. Inscreva-se aqui para receber as últimas novidades no seu e-mail