IPv6 y tornou-se indispensável

27/10/2022

Por Carlos Martínez – CTO do LACNIC

No âmbito do Painel IPv6: passado, presente e futuro, além de contar com a opinião de especialistas, propusemos somar o ponto de vista de nossa audiência, tanto presencial quanto remota. Foi então que incluímos a dinâmica da nuvem de palavras, que nos permitiu gerar uma espécie de termômetro sobre a opinião do público em relação ao protocolo.

Os resultados foram os seguintes:

Indispensável. Essa foi a palavra mais destacada entre os que participaram do painel. Conforme apontou Uesley Correa, tutor dos cursos de IPv6 do Campus LACNIC, é indispensável porque não há outro caminho a seguir. Se pensarmos muito não há opção, temos que acelerar e a qualidade de vida da Internet depende da adoção massiva do IPv6. Viver sem ele é impensável hoje em dia.

Com quais palavras você descreveria o futuro do IPv6?

Algumas pessoas destacaram o conceito inovação. Uma das coisas mais importantes que a Internet nos deu em relação a outras redes de comunicação foi a capacidade de poder inovar sobre a rede e oferecer serviços novos, sem precisar pedir licença a ninguém.

Douglas Fisher, outro dos painelistas, ficou contente com o destaque final de IoT, conforme ele falou, o IPv6 veio para devolver a realidade de ponto a ponto na Internet.

Inesgotável e desafiante foram outros dos adjetivos associados ao IPv6 ditos na nuvem de palavras pelos mais de 400 participantes.

E viável, porque segundo mostram as estatísticas, já é usado por um de cada três usuários. Não podemos voltar atrás.

Aliás, a implantação do IPv6 é o maior exemplo de uma transformação gradual na Internet. Diferente de outros protocolos, como podem ser o DNSSEC ou o RPKI, que resolvem problemas limitados em um determinado domínio e são mais propícios para uma implementação incremental, o IPv6 é transversal a todos os serviços e aplicativos que operam sobre a Internet.

Estatísticas do IPv6. Estas transformações graduais são necessariamente esforços comunitários. Todos os que operamos redes, temos uma parte de responsabilidade. Todos temos algo para fazer.

Apesar de termos uma implementação significativa do IPv6 na região, ainda não é a esperada. Levou muito tempo.

Onde estamos hoje? O que as estatísticas mostram?

Compartilho um gráfico que reflete a atualidade e a evolução desta implementação:

À primeira vista, 35% parece um número significativo, e realmente é assim, mas isso também significa que após um processo de quase 20 anos, 65% dos usuários da região ainda não conseguem acessar conteúdo em IPv6. O processo tem sido lento, e, sem dúvida, ainda temos muito para aprender. Levou mais tempo fazer isso do que toda a história anterior da Internet.

Quais foram as primeiras alocações de IPv6 em países da região?

A implementação do IPv6 é o maior exemplo de uma transformação de forma gradual na Internet. Diferente de outros protocolos, como por exemplo o DNSSEC[3]  ou o RPKI, que resolvem problemas limitados em um certo /domínio e são mais propícios para uma implementação incremental, o IPv6 é transversal para todos os serviços e aplicativos que operam sobre a Internet.

Estas transformações graduais são necessariamente esforços comunitários. Todos os que operamos redes temos uma parte de responsabilidade. Todos temos algo para fazer.

Suscríbete para recibir las últimas novedades en tu mail Click here to subscribe receive the latest news in your inbox. Inscreva-se aqui para receber as últimas novidades no seu e-mail